Direto do Vaticano

| | terça-feira, 10 de novembro de 2009

Bento XVI pede para que se confie e ame a Igreja como se fosse nossa mãe




Na Igreja paroquial natal de Paulo VI, concluiu-se a visita pastoral de Bento XVI à Brescia e Concesio, na Itália


Por uma vontade pessoal de Bento XVI, a 17ª visita pastoral na Itália concluiu-se com um encontro com a comunidade de Concesio. O pontífice encontrava-se em Brescia e Concesio para homenagear Papa Paulo VI, por ocasião do 30º aniversário de sua morte, nos lugares onde Paulo VI nasceu e teve sua formação sacerdotal. Bento XVI tornou-se cardeal pelas suas mãos em 27 de junho de 1977.

O Papa queria homenagear Giovanni Battista Montini com os seus concidadãos e confirmá-los na fé. Da igreja paroquial de Santo Antonino, onde, no dia 30 de setembro de 1897, Giovanni Battista Montini foi batizado, o Papa disse suas palavras de agradecimento e despedida.

"Aqui tornei-me cristão e filho de Deus, obtive o dom da fé" - lembrou o Santo Padre as palavras de Paulo VI, pronunciadas durante a visita deste último à própria terra natal, em agosto de 1959. Bento XVI também falou aos fiéis de Concesio sobre a importância do batismo na vida cristã. No mundo de hoje, com frequência paira sobre nossas vidas "uma nuvem que nos tira o contentamento de ver com serenidade o céu divino", disse Bento XVI, citando expressões de Papa Montini. O "ser humano é verdadeiramente feliz quando encontra a luz que o ilumina e que o sacia do significado de felicidade. Essa luz é a fé em Cristo, dom que se recebe no Batismo".

O Papa reconhece que hoje não é fácil ser cristão, porque "há de se ter coragem e tenacidade para não nos conformarmos à mentalidade do mundo, para que não deixemo-nos seduzir pelas tentações, às vezes potentes, do hedonismo e do consumismo; para enfrentarmos, se necessário, também incompreensões e, muitas vezes, até mesmo perseguições". Ele pediu aos fiéis que "permanecessem solidamente unidos à Igreja, mesmo quando se vê em seu vulto alguma sombra ou mancha". A Igreja deveria ser tratada como uma mãe, por isso todos devem amá-la, afirma Bento XVI.

Saindo da igreja paroquial, o Papa saudou cordialmente as pessoas. Estava muito sorridente, apesar de um resfriado que o deixou rouco. De Concesio o Santo Padre se transferiu para o aeroporto militar de Ghedi, de onde, depois de despedir-se das autoridades, partiu para Roma. Aterrisou no aeroporto de Ciampino por volta de 20h, hora italiana, e seguiu em helicóptero para a Cidade do Vaticano.

[ fonte gaudium press 09/11/2009]

Um comentário:

edson disse...

bom o crucifixo sempre foi um sinal de oferenda de amor de DEUS e de união para toda humanidade isto foi considerado pelo porta-voz do vaticano.
Renata

Postar um comentário